#AdneTRIP7Anos

Hoje tem blog fazendo aniversário ♥♥♥♥♥♥

#AdneTRIP7Anos   equipe

São sete anos de muitas alegrias junto ao nosso ídolo e a sua imensa legião de fãs por todo Brasil.

Todos nós, adnetripianos, somos muito gratos por fazermos parte do AdneTRIP! e só desejamos vida longa ao blog.

 Ps: Obrigada Regina Cocchialare pela confiança e ajuda de sempre, realmente você é uma anjinha 
Viva o AdneTRIP!!! 
#AdneTRIP7Anos

Humor tem lado (coluna na Folha sobre #TáNoAr)

Humor tem lado (coluna na Folha sobre #TáNoAr)   ta no ar tv  Programa de humor mais contundente exibido pela Globo desde “TV Pirata” e “Casseta & Planeta”, “Tá no Ar” teve a oportunidade de estrear a sua terceira temporada justamente em um momento muito conturbado do país.

Centrado na crítica à própria televisão, o humorístico criado por Marcius Melhem, Marcelo Adnet e Mauricio Farias não recuou diante do risco de ferir suscetibilidades. Ao contrário, aumentou o volume de suas ironias em três frentes.

Presente desde a primeira temporada, o quadro “Balada Vip” se tornou central em 2016. Semanalmente, um apresentador inspirado em Amaury Jr. entrevista um mesmo endinheirado paulistano, à la Chiquinho Scarpa, mostrando os seus empreendimentos dedicados com exclusividade à elite.

Ainda neste terreno, a atração apresentou há algumas semanas o musical “Chico Buarque de Orlando”, com os maiores sucessos da “música popular de direita”. Na recriação de “Vai Passar”, Adnet cantou: “Vai passar, lá pela fila do ‘não declarar’, tablet, câmera de foto e vídeo, casaco com tênis e minichocolate para presentear”.

Na estreia, em “Musical do jeitinho brasileiro”, ele já havia cantado sobre as pequenas corrupções do dia-a-dia, como não registrar empregados domésticos, furar fila e subornar policiais.

Em outro campo, o programa reforçou o ataque ao excesso de programação religiosa na televisão. De forma ampla, os humoristas não se cansam de fazer piadas com evangélicos, católicos, muçulmanos, judeus, praticantes do candomblé, etc.

Por fim, “Tá no Ar” ampliou o espaço dedicado a tripudiar do gosto por programas policiais sensacionalistas. De um lado, segue exibindo o quadro “Jardim Urgente”, uma de suas criações mais geniais, no qual Welder Rodrigues interpreta o apresentador de um programa infantil com tiques de Marcelo Rezende e José Luiz Datena.

Além dele, agora o humorístico exibe também o esquete “Pitombo Game Show”, comandado por um policial militar (Melhem) que defende, sempre, as soluções irregulares e ilegais.

Sem explicitar a sua posição política, mas com alvos claramente definidos, o programa apresentou este ano um quadro no qual dois homens reproduzem opiniões a favor da violência policial e contra os defensores de direitos humanos. É a publicidade do “Activista”, um iogurte para “quem quer regular a ligação entre o intestino e a boca” com a ajuda de “lactofascistas vivos”.

Deixando a sutileza de lado, ao subir o tom “Tá no Ar” também perdeu a graça em vários momentos. Um quadro dedicado a rir do jornalismo de fofocas acabou soando como acerto de contas dos criadores com colunistas que os desagradam.

Aliás, os concorrentes reclamam que, ao zombar da televisão, Melhem, Adnet e Farias poupam a própria Globo. Não acho que seja verdade, mas a ênfase na própria emissora, de fato, é menor.

Em todo caso, é preciso reconhecer que “Tá no Ar” fez boas piadas este ano com o jornalismo global e, também, com o humor (ou falta dele) no Multishow.

Exibir preconceitos, expor a intolerância e apontar a ignorância podem ser funções do humor. Colocar-se ao lado das vítimas, como faz o programa, é um gesto político, que ganha outra dimensão num momento de tanta polarização. Sou fã. E desejo vida longa ao “Tá no Ar” na grade da Globo.

Fonte: Folha

Dani Calabresa faz par com Adnet em participação especial no “Tá no Ar”

Uma festa em família dentro e fora da ficção anima o “Tá no Ar” desta terça-feira (29) com a participação da humorista Dani Calabresa como Maria Helena, esposa de Tony Karlakian, vivido por seu marido, Marcelo Adnet.

Anfitrião de uma comemoração em grande estilo pelos 100 anos de chegada da linhagem ao Brasil, o ricaço recebe Rick Matarazzo (Marcius Melhem) em sua mansão para mais uma indefectível cobertura do “Balada Vip”.

Além de conhecer a senhora Karlakian, o apresentador também conhece a matriarca da família, dona Yeda (Renata Gaspar). “Estou muito feliz em poder celebrar o conceito de família ao lado de tantos irmãos. Porque você sabe, nós da elite, somos uma só família. Não tem coisa que une mais do que o dinheiro”, afirma Tony.

A luxuosa mansão é decorada com lustres imponentes e tem direito a um bolo extravagante, com o brasão da família em 4D e um boneco de Nanuch, o cachorro de estimação da matriarca, no topo.

Fonte: UOL

Marcelo Adnet distribui chocolates no complexo do Alemão #PazcoaNoAlemão

 

Fonte: Voz da comunidade